Experimente o mundo
como um cavalo

Cavalos experimentam seus arredores e ambiente de maneira muito diferente dos humanos. Vivem em um mundo de estímulos sensoriais e pensam em imagens, sons e cheiros. As diferenças em como humanos e cavalos percebem o mundo são a razão de muitos conflitos entre as duas espécies.

No entanto, se aprendermos a desenvolver nossas habilidades naturais poderemos superar os limites das nossas percepções. Florian Oberparleiter convida você a usar o poder da sua empatia. Nossa disposição para trabalhar em nós mesmos é a chave para adentrarmos no mundo dos cavalos.

Desbloqueie o seu poder da empatia

Como seria ser um cavalo? Florian se faz essa pergunta há muitos anos. Quanto melhor entendermos a percepção de nosso cavalo, melhor poderemos adaptar a assistência que damos ao cavalo.

O poder da empatia está disponível para cada um de nós, mas a maioria das pessoas nunca aprendeu a usá-lo sistematicamente. Florian Oberparleiter ajuda você a usar o poder da empatia através da razão e sentimento e assim você será capaz de experimentar o mundo, ainda que um pouco, como o cavalo.

Desbloqueie o seu poder da empatia

Como seria ser um cavalo? Florian se faz essa pergunta há muitos anos. Quanto melhor entendermos a percepção de nosso cavalo, melhor poderemos adaptar a assistência que damos ao cavalo.

O poder da empatia está disponível para cada um de nós, mas a maioria das pessoas nunca aprendeu a usá-lo sistematicamente. Florian Oberparleiter ajuda você a usar o poder da empatia através da razão e sentimento e assim você será capaz de experimentar o mundo, ainda que um pouco, como o cavalo.

Empatia através da razão

Como o pensamento funciona sem a linguagem?
Quais são as consequências que os cavalos têm ao viver no momento?
Que experiências o cavalo teve até agora?
Que impressões as coisas que confrontamos com o cavalo deixam no animal?

Com a nossa mente analítica, somos capazes de responder a essas perguntas. Isso nos permite ter empatia com o cavalo racionalmente e reconstruir o pensamento sob o seu ponto de vista.

Empatia através do sentimento

Muitos cavalos sofrem da circunstância de que os humanos dificilmente fazem uso da sensibilidade. Muitas vezes nos apegamos a uma técnica ou método, mesmo que o cavalo nos faça sentir que está causando-lhe dano. Muitas vezes há uma contradição entre aquilo que exigimos que o cavalo faça e que o que fazemos ele sentir através da energia.

Se desenvolvermos nossa sensação poderemos superar esse problema. É a empatia através do sentimento que torna possível construir uma conexão com os cavalos e não o condicionamento.

Combinação entre razão e sentimento

Se usarmos mais razão que sentimento ao lidar com cavalos o treinamento fica vazio. Os cavalos parecem vazios e têm uma expressão pálida, sem brilho. Por outro lado, se usarmos mais sentimento que razão, nós muitas vezes não usamos todo o nosso potencial. Algumas pessoas permanecem em uma dessas duas áreas. Outros ficam no meio do caminho e não progridem de forma sistemática nem mesmo com o sentimento.

Quanto melhor pudermos conectar o poder de nosso sentir com o poder da nossa razão, mais fácil será o caminho do cavalo para nós. O que precisamos é ter a vontade de trabalhar em si mesmos.

Sentimento encontrando a ciência

Muitas pessoas que amam cavalos não estão cientes do trabalho extensivo de pesquisa realizado sobre o comportamento desses animais. Existe um conhecimento impressionantemente amplo sobre o comportamento social e as habilidades cognitivas dos cavalos que permanecem desconhecidos para a maioria dos donos de cavalos.

Florian integra pesquisas em sua maneira de lidar com cavalos. Ao fazer isso, enriquece as descobertas científicas a partir do sentimento. Somente se combinarmos razão e sentimento podemos mergulhar no mundo dos cavalos.

Não o quê, mas como

Construir uma conexão com um cavalo não depende do nível de treinamento que um cavalo tem ou do tipo de esporte equestre por ele praticado. A conexão entre um cavalo “inexperiente” e um humano empático pode ser muito mais profunda do que entre um cavalo altamente condicionado e seu treinador.

Florian gosta de fazer o trabalho em liberdade com cavalos que assim o preferem. Não é todo mundo que gosta de trabalhar com os cavalos em liberdade e trabalhar em liberdade não significa construir uma ligação com o cavalo. Ambos, tanto cavalo quanto humano têm seus próprios talentos e interesses pessoais. Florian ensina a influência do nosso pensamento, nosso sentimento e nosso corpo na conexão com o cavalo, independentemente do estilo de montaria ou da disciplina equestre.